Leilão de Seguradora de Veículos: Descubra Todos os Detalhes

Entenda como funcionam os leilões de seguradora para você não entrar em uma fria

A pandemia de Covid-19 mexeu com todos os setores e a área automotiva também foi imensamente afetada nesse período de isolamento social.

Anúncios

Por falta de matéria prima, muitas montadoras pausaram suas atividades, o que acarretou em um número menor de carros fabricados. Esse impacto foi tão grande, que até para comprar carros seminovos o mercado não está favorável.

Os preços subiram muito e uma alternativa para muitas pessoas têm sido os veículos de leilões. Como sempre, os leilões disponibilizam automóveis para vendas, normalmente, com preços bem abaixo do indicado pela tabela Fipe.

Isso torna a oportunidade ainda mais atrativa, e uma das modalidades de leilões de veículos são os realizados com carros de seguradora. 

Mas será que comprar carro de leilão de seguradora realmente compensa? Descubra agora todos os detalhes de como funciona esse tipo de leilão.

Leilão de seguradora: quais as condições dos veículos?

Na hora de comprar um carro, saber as condições do mesmo é de suma importância. Pois caso o veículo precise de algum reparo, você vai gastar além do que já pagou para adquiri-lo.

Os carros que vão para leilão oriundos de seguradoras quase sempre são veículos recuperados ou de sinistro. 

A condição de sinistrado por si só já é algo a ser avaliado com bastante cuidado e, além disso, existem 3 tipos de sinistralidade que, dependendo do que ocorreu com o veículo, o mesmo não pode mais ter um seguro auto.

Conheça agora os três tipos de sinistro.

Pequena monta

De acordo com a resolução do CONTRAN, sinistros de pequena monta são:

“Danos de pequena monta, quando o veículo sofrer danos que afetem peças externas e/ou peças mecânicas e estruturais, mas que, quando substituídas ou recuperadas, permitem que o veículo volte à circular sem requerimentos adicionais de verificação”.

Ou seja, são carros que sofreram danos leves, que podem sim ter sido batidos, porém sem abalo no monobloco ou na estrutura.

Para quem realmente deseja comprar um carro de leilão de seguradora, esses são os mais aconselháveis de se adquirir. E o motivo é óbvio, é o carro que, teoricamente, te dará menos problema futuramente, uma vez que os danos sofridos foram leves.

Para esse tipo de veículo também é possível fazer seguro, contudo, perdem valor de mercado e as seguradoras costumam avaliá-lo cerca de 30% a menos do valor de tabela Fipe.

Média monta

Também de acordo com a resolução do CONTRAN, temos para média monta:

“Danos de média monta, quando o veículo sofrer danos em suas peças externas, peças mecânicas e estruturais, mas que, quando substituídas ou recuperadas, permitem que o veículo volte à circular após a realização de inspeção de segurança veicular e a obtenção do Certificado de Segurança Veicular – CSV”.

Ou seja, veículos avaliados como média monta, apesar de ainda poderem circular, são os que sofreram danos mais graves, inclusive na estrutura.

Nesses casos, é preciso que o carro seja completamente consertado e passe por uma vistoria do Detran para que o mesmo avalie se o veículo pode voltar a circular. Essa vistoria gera um laudo que deve conter uma restrição gravada no documento, que é válido por 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 30.

Contudo, quando você compra um carro no leilão, você o recebe do jeito que está, sem nenhum tipo de conserto. Este deverá ser pago integralmente por quem arrematar o veículo.

Então é preciso avaliar cuidadosamente se realmente vale a pena comprar um carro de leilão de seguradora. 

Grande monta

A resolução define como grande monta:

“Danos de grande monta, quando o veículo sofrer danos em suas peças externas, peças mecânicas e estruturais que o classifiquem como veículo irrecuperável”.

Ou seja, grande monta é o famoso PT, é quando o carro tem perda total e só serve como sucata. Nesse estado o veículo só costuma ser interessante para quem tem negócios como ferro-velho.

Veículos recuperados de furto ou roubo

Veículos recuperados podem não terem sido envolvidos em nenhum tipo de sinistro e apresentarem bom estado. Ainda assim continuam sendo carros que já foram roubados. 

Para esse tipo de veículo também pode ser feito um novo seguro, contudo, o valor também será abaixo da tabela Fipe.

Multa por Não Transferência de Veículo em 30 Dias: O que diz a Lei Atual?

Sedãs automáticos mais econômicos: Veja a lista