Quando é considerado perda total do carro?

Confira nesse artigo como saber quando o dano em um veículo pode ser considerado perda total do carro!

Anúncios

Quando um dano é considerado perda total de um veículo? Essa é uma dúvida muito comum na cabeça de vários motoristas. E se este também é o seu caso, então esse artigo é para você.

O PT ou perda total é um tipo de sinistro que não compensa ser reparado pois o custo de conserto é superior ao valor de apólice.

Mas quando considerar a perda total do veículo e a perda parcial? Continue sua leitura e entenda tudo sobre ao assunto. Confira!

O que é perda total e perda parcial?

A Susep – Superintendência de Seguros Privados que prevê as diretrizes para indenizações de carro propõe que a perda total vai de acordo com os custos que envolvem o seu conserto e que precisam ser superiores a 75% da precificação do automóvel para ser declarada de tal forma.

Já quando os custos envolvidos são inferiores a 75% ao valor para contratar a apólice é considerado perda parcial. Nesse caso, é necessário pagamento de franquia para cobrir a diferença da reparação da despesa total.

Outro detalhe quanto a perda parcial é que se os custos de reparo de um sinistro forem abaixo do valor de acionamento da franquia, não é possível recorrer ao seguro.

Como é a avaliação para saber se foi ou não perda total seguro?

Além da porcentagem definida pela Susep é preciso realizar alguns procedimentos que definem se o carro teve perda total ou não, alguns deles são os seguintes:

Vistoria de um perito

Qualquer dano ao veículo é um sinistro, para que seja verificado se houve ou não perda total é preciso fazer a vistoria com um perito da seguradora que será responsável por avaliar o estado do veículo e se há ou não irregularidades com a descrição do sinistro.

Orçamento de conserto

É outra etapa para definir se foi perda total ou não, afinal, o preço do conserto é quase quem define se vale a pena ou não reparar o dano. Ou seja, a oficina avalia se há necessidade de conserto e quanto valor será necessário entre a parte mecânica, pintura, funilaria e o que for necessário.

Avaliação da seguradora

Outra etapa importante é o valor da seguradora, afinal, é ela quem dará a palavra final. Aqui é onde a seguradora decidirá ou não o que fará com o orçamento de conserto.

Formalização do sinistro

Depois de passar pela vistoria, pelo orçamento da oficina e pela avaliação da seguradora é feita por fim a formalização da perda total ou parcial do veículo.

Aqui é possível que a cobertura seja feita com base no valor referencial da tabela Fipe ou por valor em apólice com base na nota fiscal do carro. Mas, independente do modo é considerado o percentual de 75% para ser perda total.

Sinistros que podem ser considerados perda total

Existem várias situações que levam o motorista a se questionar se aquela determinada situação pode se considerar perda total. Dúvidas do tipo “Quando o airbag é acionado da perda total?” ou então “Acidentes envolvendo enchentes é considerado perda total?” são apenas algumas delas.

No geral, os principais casos de sinistros que podem se considerar PT são os seguintes:

  • Incêndios
  • Quedas de árvores no veículo que gerem estragos grandes
  • Desmoronamentos
  • Acidentes
  • Colisão
  • Enchentes
  • Capotamento

Perda total em veículos de terceiros: como funciona?

Se o PT ocorreu em um veículo de terceiros é importante avaliar o risco na hora do fechamento de contrato com a empresa seguradora. Sobretudo porque é nesse momento que são contratadas as coberturas opcionais de Cobertura de Responsabilidade Civil Facultativa.

Ou seja, é essa cobertura que irá definir o limite da indenização.

Deve anular a indenização quando dirigir sob efeito de álcool?

Sim, a infringir qualquer lei de trânsito pode resultar na negação da indenização pela seguradora já que desrespeitar os termos da apólice gera perda do direito do benefício.

Portanto, agora que já estar mais informado sobre as situações que podem considerar como perda total fique atento. E caso passe por alguma delas, lembre-se de acionar seu seguro para fazer valer seu direito e não sair no prejuízo!

unidas mensal mais

Unidas Mensal Mais: Saiba como contratar

problemas na suspensão

5 sinais que seu veículo tem problemas na suspensão